Você participa de promoções na internet ?
Sim
Não
Dificil achar

Seu Nome:

Seu E-mail

Nome do destinatário:

E-mail do destinatário:


Informe seu email aqui para receber nossas promoções, dicas de compras e novidades!!


   Informativos

(27/05/2009)
Um aditivo para cada
função do carro

Clique na imagem para ampliá-la...

Um aditivo para cada função do carro




Diogo Rocha
Quinta-feira - 20/03/2008 - 03h01
Valdivo Pereira - 19/03;2008
foto

Produtos têm características específicas para melhorar o desempenho de diversas partes do carro; quase sempre, previnem danos ao veículo

Araçatuba - Na semana passada, a página Folha Motor mostrou alguns cuidados que o consumidor deve ter na hora de comprar um carro usado. Hoje, a dica vale tanto para veículos usados como para os zero-quilômetro. Quantas vezes, ao abastecer o carro, o frentista já perguntou: "Vamos colocar um aditivo na gasolina?".

Com certeza, a maior parte dos leitores já deve ter passado por essa situação. Mas a pergunta que fica é: como escolher o produto certo para cada função do carro?

Mecânicos ouvidos pela Folha da Região concordam que a manutenção preventiva do veículo ainda é esquecida pela maior parte dos motoristas. No entanto, é bom não deixar de lado alguns cuidados básicos, porque isso pode trazer prejuízos para o motorista no futuro.

No caso de uso dos aditivos, a primeira orientação é quanto à escolha do produto a ser utilizado. Isso porque os aditivos têm fundamental importância para o bom rendimento do carro, prolongando a vida útil do motor. O aditivo é adicionado aos líquidos e fluídos existentes no propulsor, com um único objetivo: melhorar a capacidade de serviço do carro.

Os aditivos podem ter as mais variadas funções. Uns podem melhorar o desempenho de motores velhos, outros aumentam a octanagem da gasolina, sem infringir restrições técnicas. Um aditivo muito comum, mas ainda pouco usado é o da gasolina. Ele pode eliminar, quando usado da forma correta, depósitos de goma, vernizes e corrosão nos carburadores, bicos injetores e nas câmaras de combustão.

Mas também existem produtos que podem ser misturados ao sistema de arrefecimento do veículo. Cada um tem propriedades específicas. Aqui vão alguns exemplos de uso dos aditivos.

Bateria - usado em baterias convencionais, facilita a reação química, aumentando a capacidade energética. Também estabiliza a temperatura operacional da peça;

Água - aumenta o ponto de ebulição da água e diminui a temperatura de congelamento - fenômeno comum em regiões de clima muito frio, quando existe inclusive o risco da água se transformar em gelo. Permite maior eficiência de refrigeração nos motores modernos;

Radiador - remove incrustações dissolvidas e mantém em suspensão as partículas de ferrugem e cálcio, facilitando a vazão da água pelo sistema de refrigeração. Também restaura a eficiência térmica e forma uma película contra a corrosão;

Óleo - aumenta a eficácia do lubrificante por meio da criação de películas que aderem às superfícies submetidas a atrito. Além disso, prolonga a vida útil e diminui o consumo do lubrificante;

Motores cansados - é o aditivo ideal para motores com mais de 50 mil quilômetros rodados. Reduz a fumaça, a queima e o vazamento de óleo por aumentar a película vedadora do óleo lubrificante;

Antiespumantes - misturado ao óleo do motor, combate principalmente a formação de bolhas de ar, que podem provocar a interrupção na continuidade da película lubrificante.

AQUECIMENTO - Hoje, os aditivos mais usados são destinados ao radiador, óleo do motor e os especiais para motores cansados, principalmente devido à alta idade da frota nacional de carros. Estima-se que hoje, de quatro a dez carros chegam às oficinas com problemas que poderiam ser evitados com o uso de um aditivo. Muitos motoristas pensam que o aditivo recomendado para misturar na água do radiador tem como única função manter o sistema de arrefecimento limpo, o que não é verdade.

No Brasil, os carros rodam em regiões diversas - em alguns lugares a temperatura pode ficar abaixo de zero grau. Em outros, muito acima de 40 graus. Por isso, qualquer fluido usado no arrefecimento do motor precisa ter um ponto de congelamento muito baixo, um ponto de ebulição muito alto e deve ter a capacidade de armazenar muito calor. Portanto, o motorista deve sempre manter o sistema de arrefecimento sob pressão constante para prolongar o tempo útil do motor e também do veículo. (com Diário do Grande ABC)





Aditivo Anticorrosivo
 

Limpa Pára-Brisa
 

Fluído para Bengala
 

 

 
Copyright © 2022 Empresa: proradflex.com.br Endereço: Rua Osvaldo Scognamiglio, 66 - Vl.São Franc - Mogi das Cruzes - SP